Escolha uma Página

As algas são, cada vez mais, parte da alimentação dos Portugueses, muito pelos benefícios que estas trazem, especialmente a nível nutricional. Mas quando se consome este alimento, é necessário ter alguns cuidados. Descubra, neste artigo, o que deve saber sobre as algas e o seu consumo.

Do “universo” das algas, fazem parte as macroalgas, as microalgas e os organismos multicelulares e, tal como as plantas terrestres, também realizam a fotossíntese. Embora ainda sejam, maioritariamente, consumidos na Ásia, são cada vez mais consumidas no Oriente.

As microalgas têm tamanho microscópico, como o nome indica, e crescem em vários tipos de condições. Já as macroalgas só crescem em ambiente marinho e existem as algas verdes, as vermelhas e as castanhas.

As algas são muito procuradas porque são uma boa fonte de fibra, de proteína, de minerais e de vitaminas, têm também uma grande densidade de ácidos gordos polinsaturados. Pelo alto teor de fibra, as algas são úteis na perda de peso (pois permite a sensação de saciedade, mais rapidamente). Além disso, ajuda a prevenir diabetes, problemas cardiovasculares, etc.

Apesar de todos estes benefícios, o consumo de algas em excesso pode ser perigoso, pois ingerimos também grandes quantidades de metais pesados, iodo, sódio, pesticidas, etc. contidos nas algas.

Deve, também, haver cuidado na compra destes produtos. Devemos procurar empresas certificadas, que tenham os cuidados necessários para o consumo destas. Além disso, o armazenamento das algas frescas deverá ser entre 3 e 8 dias no frigorífico ou cerca de 6 meses no congelador. Antes do consumo, é importante lavá-las bem. Se consumir algas secas, deve hidrata-las também, antes do consumo.