Select Page

Onde quer que estejamos, todos nós precisamos de água para sobreviver. Para além do corpo humano ser 60% água, este recurso natural é também essencial para produzir água, roupa e computadores, e manter a saúde dos seres humanos e do meio ambiente.

Apesar de ser absolutamente vital e essencial à nossa sobrevivência, e à vida como a conhecemos, a gestão deste recurso ao longo dos anos tem sido tudo menos eficaz: e não restam dúvidas de que a escassez de água se tornará um dos maiores e mais preocupantes problemas ambientais e económicos do mundo.

Segundo as Nações Unidas, a utilização de água cresceu mais de duas vezes a taxa de aumento da população no século passado. Em 2025, estima-se que 1.8 mil milhões de pessoas viverão em áreas afetadas pela escassez de água, com dois terços da população mundial a habitar em regiões com stresse hídrico, resultado do uso, crescimento e alterações climáticas.

O panorama mundial é tudo menos animador, e aquilo que o futuro reserva para o nosso país segue a mesma tendência. De acordo com um estudo realizado pelo Instituto de Recursos Mundiais, Portugal encontra-se entre os 44 países que esgotam, pelo menos, 40% das suas reservas de água, colocando todo o território numa situação de risco elevado de escassez de água.

“O stresse hídrico é a maior crise de que ninguém está a falar. As consequências estão à vista de todos sob a forma de insegurança alimentar, conflitos e migrações e instabilidade financeira”, defende Andrew Steer, presidente e diretor executivo do Instituto de Recursos Mundiais. “A falta de ação será extremamente dispendiosa em vidas humanas e meios de subsistência.”

Esta ação de que Steer fala é essencial não só nas grandes indústrias, mas também no nosso dia a dia. De tomar banhos mais curtos a fechar a torneira enquanto escovamos os dentes ou lavamos o rosto, existe uma série de passos que podemos (e devemos) dar para poupar este recurso natural – e isso inclui, também, os produtos de Beleza que escolhemos usar.

Com o Dia Mundial da Água (22 de maço) no horizonte, falamos da tendência Waterless Beauty.

Waterless Beauty: Que conceito é este?

Com a indústria da beleza a caminhar para soluções cada vez mais sustentáveis e amigas do ambiente, as tendências “verdes” que em tempos eram consideradas de “nicho” transformam-se agora em algo não só mais mainstream, mas também esperado. Enquanto consumidores, somos mais informados, mais exigentes e mais conscientes, e queremos que os produtos que utilizamos reflitam as nossas preocupações e ideais.

Uma destas tendências é precisamente aquilo a que chamamos de Waterless Beauty. Como o próprio nome indica, este conceito diz respeito a cosméticos e produtos que não possuem água na sua formulação, apresentando uma forma mais compacta, concentrada e ecológica.

Mas porque é que esta tendência é tão importante? Se olharmos para os rótulos dos nossos produtos cosméticos, é comum vermos palavras como “aqua”, “eau”, “water” ou “água” na lista de ingredientes. Isto acontece porque a água é frequentemente usada como “enchimento”, algo que levanta uma série de desvantagens: a necessidade de conservantes, emulsionantes, aditivos antibacterianos e menos espaço para ingredientes ativos e benéficos para a nossa pele.

É também de notar que, por muito hidratante que a água possa ser, quando usada em excesso, pode secar a pele ao longo do prazo e quebrar a sua barreira natural: mas além dos efeitos na nossa pele, adicionar água aos produtos também pode ser prejudicial ao meio ambiente.

Como? Ao adicionar água à formulação, a eficácia geral do produto é reduzida. Quanto menos eficaz, maior a necessidade de consumo. Quanto mais se consome, mais embalagem é necessária, o que irá criar mais poluição ambiental. E como todos nós sabemos, tudo o que é fabricado tem uma pegada hídrica que vai muito além do que está na embalagem, da fábrica ao transporte e à própria utilização.

Que produtos a usar?

Agora que sabemos o que é que o conceito de Waterless Beauty significa, e todo o impacto que um produto com água na sua formulação pode ter para o meio ambiente, está na altura de falarmos das alternativas: como fica a nossa “shelfie” quando não usamos produtos de beleza que contém água?

A resposta é muito simples: produtos mais compactos e concentrados, como champôs, amaciadores, ceras e cremes sólidos, que reduzem a quantidade de água e são formulados com óleos altamente concentrados. O melhor de tudo? Podemos construir uma rotina completa, usando este tipo de cuidados ao invés de cosméticos que contém elevadas concentrações de água na sua fórmula.

LIMPEZA

Começando pela limpeza da pele, a sugestão Organii vai para a coleção de sabonetes da Unii. Formulados para os mais diversos tipos e necessidades de pele, estes cuidados bio, vegan e zero waste podem ser usados tanto no rosto como no corpo, eliminando a necessidade de ter dois produtos diferentes para esses dois fins. Para além disso, as suas embalagens são feitas em papel reciclado.

No que à hidratação diz respeito, existem também diversas alternativas, como a Manteiga de Cacau da Lamazuna. Um cuidado 100% natural e vegan, e também zero desperdício, esta manteiga derrete em contacto com a pele, e pode ser aplicada tanto no rosto como no corpo.

Os óleos puros da Unii também são uma ótima opção para hidratar a pele, dos pés à cabeça, ao mesmo tempo que cuidamos do planeta. Altamente concentrados, protetores e hidratantes, estes óleos não contém qualquer água na sua fórmula.

HIGIENE ORAL

Para lá dos cuidados de rosto e corpo, também as nossas rotinas de higiene oral podem mudar para melhor, usando dentífricos sólidos como as Pastas de Dentes Sólidas da Lamazuna e a Escova de Dentes da Hydrophil, fabricada a partir de matérias-primas 100% renováveis.

BANHO & CUIDADOS DE CABELO

E no banho? A par com o uso de sabonetes em detrimentos de produtos em embalagens de plástico, o ritual de esfoliação pode também ser adaptado para poupar água, usando opções como o Sabonete Menta Esfoliante da Unii, e o cuidado do cabelo com champôs e amaciadores sólidos.